CIRURGIA ESPIRITUAL (Em novo Site)
Acessar >>
Portal Espirita
 
   Portal Espirita L.E.M.A.
    Legião Espiritual e Material de Ajuda
    Desde Janeiro de 2000

 


Membros
      Mapa   Mapa
 Dicionario Espirita :
Indice
Inicio
Contato Interno
lbum de encontros
Comunidade MSN
Autor
Oratrio
Grupo de orao
Rdio
Radio Espirita

Radio em nova janela
 
Livros p/ Download

Livros Download 

INDICE DE SEES
: : Transio planetria
: : Filmes Espiritualistas
: : Casas espiritas
: : Livros espiritas
: : Temas
: : Curisosidades
: : Especiais
: : Estudo de Casos
: : Relatos
: : Colunistas
Portal Espirita
 



 

                             M

\r\n

 

\r\n

Maonaria do francs maonnerie- Sociedade parcialmente secreta, cujo sistema filosfico se consagra edificao moral da sociedade, fraternidade e filantropia, e cujos ritos e smbolos derivam em grande parte de cultos e doutrinas da antigidade.

\r\n

Macroestesia -do gr. makros - grande + ainthsis - sensibilidade. Sensao alterada dos sentidos que d a impresso de que tudo seja maior. um distrbio dos sensrios.

\r\n

Macrocosmo do grego makrs + ksmos - Universo. O mundo das coisas grandes, das galxias, em oposio ao das coisas pequenas, o microcosmo atmico.

\r\n

Mcula do latim macula - Mancha; ndoa. Desonra; infmia.

\r\n

Macumba do quimbundo ma'kba - Sincretismo religioso afro-brasileiro, derivado do camdobr, que recebeu influncias de religies africanas, de religies indgenas brasileiras e do Catolicismo. O ritual correspondente a esse sincretismo. Por derivao, magia negra. Por ignorncia ou m inteno, adversrios gratuitos muitas vezes tentaram associar o Espiritismo a esse sincretismo, os quais, por evidente, nada tm em comum, a no ser o contato medinico com Espritos desencarnados.

\r\n

Macumbeiro do quimbundo ma'kba + -eiro - Partidrio ou praticante da macumba.

\r\n

Magia do latim magia - Cincia e arte que pretende atuar sobre a natureza, empregando conscientemente poderes invisveis, para obter resultados visveis, mesmo contrrios s suas leis.

\r\n

Magntico do francs magntique - Relativo ao magneto ou m, ou ao magnetismo. Propriedade que alguns corpos apresentam de atrair e reter outros. Que exerce forte atrao ou profunda influncia.

\r\n

Magnetismo do francs magntisme - o processo pelo qual o homem, emitindo energia do seu perisprito, age sobre outro homem, bem como sobre todos os corpos animados ou inanimados. O magnetismo, chamado tambm de magnetismo animal, pode ser assim definido: ao recproca de dois seres vivos por intermdio de um agente especial chamado fluido magntico. Ver: Passe.

\r\n

Magnetismo animal - Nome dado por Franz Mesmer s emisses qunticas de bioenergia emitidas por um sensitivo passista. Termo obsoleto, porm, usado pelos saudosistas.

\r\n

Magnetizao do francs magntis(er + -ao - Ato ou efeito de magnetizar. Processo pelo qual se magnetiza um corpo, imantao. O passe magntico, pela imposio das mos do magnetizador.

\r\n

Magnetizador do francs magntis(er + -ador - Aquele ou que magnetiza; magnetizante; passista.

\r\n

Magnetografia - Foto capaz de mostrar as radiaes magnticas de qualquer corpo.


\r\n

Magnetizar do francs magntiser - Transferir o magnetismo. Atrair, fascinar. Dominar, influenciar a vontade de algum.

\r\n

Maiutica do grego maieutiks - Processo dialtico e pedaggico, inicialmente usado por Scrates, em que se multiplicam as perguntas a fim de obter, por induo dos casos particulares e concretos, um conceito geral do objetivo em questo.

\r\n

Mal do latim malu - Ausncia ou privao do bem devido, do bem que deveria existir e no existe. Aquilo que se ope ao bem, virtude, probidade, honra. A transgresso s leis divinas e os seus efeitos.

\r\n

Maldade do latim malitate - Qualidade de mau. Ao m ou ruim. Iniquidade; perversidade; crueldade.

\r\n

Maldizente do latim maledicente - Que ou quem fala mal dos outros; maledicente.

\r\n

Maldizer do latim maledicere - Dizer mal; praguejar; imprecar; blasfemar. Ver: Maledicncia.

\r\n

Maledicncia do latim maledicentia - Ao de maldizer; falar mal de algum. Maldizente, detrao, difamao, murmrio. Ver: Maldizer.

\r\n

Maledicente do latim maledicente - O mesmo que maldizente.

\r\n

Malcia do latim malitia - Propenso para o mal. Dissimulao; astcia; manha. Mordacidade, marotice.

\r\n

Manancial de manante - Que mana ou corre abundantemente e sem cessar. Nascente de gua; fonte. Origem, princpio.

\r\n

Mancias -do gr. manthia - adivinhao. Praticas diversas de carter medinico que consiste em se concentrar sobre uma referncia a fim de desvendar acontecimentos, antever ou descrever a sorte dos consulentes.
Manias -do gr. mania. Estado de excitao psquica que desencadeia uma srie de impulsos instintivos e afetivos cujo costume no o normal.

\r\n

Manifestao do latim manifestatione - Ato ou efeito de manifestar. Demonstrao expressa, pblica e coletivamente, de sentimentos e idias. Ato pelo qual o Esprito revela a sua presena. As manifestaes podem ser: ocultas - no ostensivas, quando o Esprito age sobre o pensamento; patentes - quando apreciveis pelos sentidos; fsicas - quando se traduzem por fenmenos materiais, tais como rudos, movimento e deslocamento de objetos; inteligentes - quando revelam um pensamento; espontneas - independentes da vontade e ocorrem sem que nenhum Esprito seja chamado; provocadas - efeitos da vontade, do desejo ou de uma evocao determinada; aparentes - quando o Esprito se faz visvel. Ver: Apario.

\r\n

Manipanso -africanismo. dolo de fetiche.

\r\n

Maravilha do latim mirabilia - Ato ou fato fora do comum; assombroso; admirvel; extraordinrio; prodigioso; sobrenatural. Beleza, encanto, fascnio, primor.

\r\n

Maravilhoso do latim mirabili(a + -oso - O que maravilha.

\r\n

Matria do latim materia - Qualquer substncia slida, lquida, gasosa ou radiante existente em nosso mundo fsico. Lao que prende o Esprito; agente, intermedirio, com o auxlio do qual e sobre o qual atua o Esprito.

\r\n

Material do latim materiale - Respeitante ou pertencente matria. Constitudo por matria. Que se opem a espiritual, que se refere apenas ao corpo. Pesado, macio, grosseiro.

\r\n

Materialismo do latim materiale + -ismo - Sistema dos que sustentam que tudo matria no homem e que, assim, nada sobrevive nele aps a destruio do corpo. O materialismo que se baseia apenas na negao, no pode fazer face evidncia dos fatos. Caracteriza falta de elevao espiritual.

\r\n

Materializao do latim material(e + iz + ao - Ato ou efeito de materializar. Propriedade do perisipirito de se tornar visvel e tangvel. Ver: Ectoplasmia e Estereolgica.

\r\n

Materializar do latim material(e + -iz + ar - Tornar material. Atribuir qualidades da matria a alguma coisa ou a algum. Adensar, reconvertendo valores fludicos, tangibilizar e tornar visvel objeto antes invsvel e intangvel ou Esprito.

\r\n

Matriz do latim matrice - Que d origem; molde, base, fonte.

\r\n

Medianmico do latim mediu + anima + -ico - Qualidade do poder dos mdiuns; faculdade de intermedirio atravs dos recursos de sua prpria alma.

\r\n

Medianimidade do latim mediu + anima + -idade- Faculdade dos mdiuns; sinnimo de mediunidade. Essas duas palavras, amide, so empregadas indiferentemente. Querendo fazer uma distino, poder-se-ia dizer que mediunidade tem um sentido mais amplo; medianimidade, um sentido mais restrito. Ver: mediunidade.

\r\n

Mdium do latim medium - Pessoa acessvel influncia dos Espritos, e mais ou menos dotada da faculdade de receber e transmitir suas comunicaes. Para os Espritos, o mdium um intermedirio, um instrumento segundo a natureza ou o grau da faculdade medinica. Esta faculdade depende de uma disposio orgnica especial, suscetvel de desenvolvimento. H uma diversidade de mdiuns: falantespsicofonia, escreventespsicografia, videntes, audientes, curadores, etc..

\r\n

Mediunato do latim medium + actu- Nome criado pelos Espritos, para significar a misso providencial dos mdiuns, a ao medinica que eles desenvolvem durante a reencarnao.

\r\n

Medinico -de mdium + suf.. Relativo ou correlato com a mediunidade.


\r\n

Mediunidade do latim medium + -idade - Faculdade que a quase totalidade das pessoas possuem, umas mais outras menos, de sentirem a influncia ou ensejarem a comunicao dos Espritos, tanto que Allan Kardec afirma serem raros os que no possuem rudimentos de mediunidade. Em alguns, essa faculdade ostensiva e necessita ser disciplinada, educada; em outros, permanece latente, podendo manifestar-se episdica e eventualmente. Ver: medianimidade.

\r\n

Mediunidade personalstica - Aquela em que o desencarnado se manifesta demonstrando sua personalidade, tambm dita mediunidade intelectiva.

Mediunidade ectoplsmica
de efeitos fsicos - aquela em que o mdium se presta para dele se servirem os Espritos e realizarem trabalhos de materializao e de ectoplasmia em geral.

\r\n

Mediunismo do latim medium + -ismo - Prtica indevida da mediunidade, distante do conhecimento do seu mecanismo e das regras de segurana aconselhadas pelo Espiritismo.

\r\n

Mdium Audiente - os que ouvem os espritos.

\r\n

Mdium Curador - os que tm o poder de curar ou de aliviar o doente, pela s imposio das mos, ou pela prece.

\r\n

Mdium de Efeitos Curador - os que tm o poder de provocar efeitos materiais , ou manifestaes ostensivas.

\r\n

Mdium de Transporte - os que poder servir de auxiliares aos espritos para o transporte de objetos materiais.

\r\n

 Mdium Escrevente ou Psicgrafos - os que tem a faculdade de escrever por si mesmos sob a influncia dos espritos.

\r\n

Mdium Poliglota - os que tm a faculdade de falar, ou escrever em lnguas que lhes so desconhecidas.

\r\n

Mdium  Psicofnico - na obra de desobsesso , os mdiuns psicofnicos, so aqueles chamados a emprestar recursos fisiolgicos aos sofredores desencarnados para que estes sejam socorridos.

\r\n

Mdium  Senssitivos- pessoas suscetveis de sentir a presena dos espritos , por uma impresso geral ou local, vaga ou material.A maioria dessas pessoas distingue os espritos bons dos maus, pela natureza da impresso.

\r\n

Mdium Vidente - os que, em estado de viglia, vem os espritos.A viso acidental e fortuita de um esprito, numa circunstncia especial, muito freqente; mas, a viso habitual, ou facultativa dos espritos , sem distino excepcional.

\r\n

Mediunidade - a beno de Deus, quando colocada a servio da caridade

\r\n

Melindre do espanhol melindre - Delicadeza de trato, amabalididade. Pudor. Afetao. Facilidade de ofender-se, suscetibilidade.

\r\n

Mediunismo - Termo empregado por Alexej Akzacof para definir a mediunidade.

Mediunizar -galicismo. Entrar em transe medinico.

Mefistfeles - Personagem criado por Gthe, para representar as foras satnicas, na sua obra "O Doutor Fausto". o homem que nega.

Memria -do latim: memoria. Faculdade de conservar as idias e os conhecimentos adquiridos.

Memria ancestral - o mesmo que criptomnsia.

Memorizao preagnica - um fenmeno atravs do qual, no ato do trespasse, o desencarnante v todas as cenas por ele vividas naquela existncia terrena.

\r\n

Memria extracerebral - Designao dada pelo pesquisador indiano Hamendras Nat Banerjee para as lembranas espontneas de um passado pelo qual a criatura no registra vivncia na presente vida. A memria que extrapola as possibilidades do crebro fsico.

\r\n

Mensagem -latim pop. missus - remessa.Denominao comum dada s comunicaes medinicas, geralmente escritaspsicografia ou faladaspsicofonia.

Mentalton - Quantum espiritual correspondente percepo, como propriedade de sentir e registrar as influncias externas.Teoria Corpuscular do Esprito - H.G.Andrade

Mesa girante - Mesa trip comumente usada para receber comunicaes medinicas de Entidades que a usam por batidas a fim de marcar as letras com as quais escrevem palavras e frases.

Mesmeriano - Referente a Franz Mesmer e seus estudos correlatos com as emisses qunticas de bioenergia pelos sensitivos passistas.


\r\n

Mrito do latim meritu - Merecimento; valor moral ou intelectual.

\r\n

Meritrio do latim meritoriu - Louvvel; que merece prmio.

\r\n

Messias do hebraico mashiah, pelo latim messias - Pessoa apontada como escolhida e enviada por Deus para revelar um caminho de redeno s demais criaturas. Lder carismtico, pessoa esperada ansiosamente. Jesus o Messias, considerado o ungido de Deus e modelo e guia da humanidade pelos Espritos superiores.

\r\n

Mestre do latim magister, pelo espanhol maestre e pelo francs arcaico meestre  - Pessoa que ensina; professor, perito versado em uma cincia ou arte. Homem de saber; aquele que se mostra superior em alguma coisa. O nico ttulo que Jesus aceitou ostentar em sua jornada de ensino.

\r\n

Metabiose -do gr. meta - alm + bios - vida + suf.. Formao de organismos vivos sob ao paranormal.
Consiste, principalmente, em fazer vegetais crescerem

\r\n

Metabolismo do grego metabol + -ismo - Conjunto de transformaes qumicas. Conjunto de mecanismos qumicos necessrios s estruturas celulares do organismo corporal e tambm produo da energia indispensvel s reaes bioqumicas e demais manifestaes da vida.

\r\n

Metabolizar do grego metabol( + iz + -ar - Realizar o metabolismo de.

\r\n

Metafsica do grego met t physik - Segundo o conceito aristotlico, o estudo do ser enquanto ser, especulando os primeiros princpios e as causas primeiras. Transcendncia.

\r\n

Metafsico do grego met t physik - Relativo ou pertencente metafsica; transcendente.

\r\n

Metafotonismo -do gr. meta - alm + phton - luminosidade + suf.. Apario ectoplsmica de luz. Fenmeno luminoso medinico.

Metagesto - Hibridismo que define o intercmbio de dilogos entre o Esprito e o encarnado.

Metaglossia -do gr. meta - alm + glossos - fala. o mesmo que psicofonia. De uso incomum.

Metagnomia -do gr. meta - alm + gnomn - indicador. Segundo Boirac, a parte que engloba uma srie de predicados anmicos e define a capacidade do sensitivo de perceber esses fenmenos com maior desenvoltura dos seus sensrios naturais.

Metagnosia -do gr. meta + gnose. Clarividncia com clariaudincia conjugada.

Metagrafia - o mesmo que psicografia, embora, com esse termo Bret tambm definia a "escrita direta" e o ideografia.

Metalactobrio -do gr. meta + allactos - mudana + bars - fora, peso. Transferncia de peso de objetos e pessoas para outras referncias. Definio de Bret.

Metamnsia -do gr. meta + mensis. Transferncia ou busca das lembranas de um repositrio universal para a memria dos sensitivos. Hiptese materialista para explicar a percepo do desconhecido.

Metamorfismo -do gr. meta - alm + morphos - forma. o caso mais geral da mudana de aparncia perispiritual de um desencarnado que toma novas formas sob influncia de sua vontade. Faz parte do politropismo etrico.

Metassomtico - Referente ao metassomatismo.

Metassomatismo -do gr. meta - alm + somathos - corpo, forma. Fenmeno onde as energias terrenas cedidas pelo mdium so empregadas para operar transformaes no campo perispiritual de desencarnados. O fenmeno informativo e se diria como sendo uma cirurgia espiritual feita por mdicos da Espiritualidade.

Metanosmo - Definio materialista para explicar a psicofonia que pode ocorrer por auto-sugesto, ou auto-provocao, ou puro, onde at a xenoglossia se esclarece, como sendo atributo estranho de domnio transcendental da mente do sensitivo, no caso.

Metaplasia -do gr. meta + plasma. Apario materializada do duplo de um encarnado. Caso especfico de desdobramento com apario estereolgica.

Metaporese -do gr. metaporsis. Ao paranormal sobre a matria. Fenmeno estudado por Myers, que constatou a mudana de tecido necrosado e outros fenmenos de recuperao celular orgnica dos pacientes.
Metapsicologia - Outra denominao dificilmente usada para definir a Metapsquica ou a Parapsicologia, como sendo o estudo psicolgico dito transcendental.

Metapsicose -do gr. meta + psicose. Distrbios psicticos causados sob influncia de ao paranormal.
Metapsiquiametapsiquismo - Estudo da Metapsquica.

Metapsquica -do gr. meta - alm + psik - alma + suf.. Cincia estabelecida e estruturada por Charles Richet, destinada a estudar os fenmenos que transcendiam Psicologia e que fugiam ao domnio fsico da cincia dita materialista. Sobre este assunto, seu autor escreveu um tratado que, at a 15 edio sofreu vrias modificaes. Inicialmente, de cunho materialista, admitia que todo fenmeno procedia do poder psquico do seu sujet, ou seja, daquele que tinha essa capacidade. Assim, classificou os fenmenos ditos metapsquicos em dois grupos, os objetivos, onde a ao se fazia sentir sobre objetos, como levitao, transportes, etc., e subjetivos, os que no atuavam nos ditos objetos, como telepatia, desprendimento e outros.
Posteriormente, estudando os fenmenos ditos espirticos, reformulou seu ponto de vista e passou a admitir os medinicos, preocupando-se sobremodo com os ectoplsmicos. Numa conferncia de despedida da ctedra da Universidade de Sorbone, ele se declarou simpatizante da doutrina esprita, o que foi o suficiente para que seus seguidores laicos abominasse seu trabalho e, sob influncia da escola metapsiquista alem, propusessem a substituio da Metapsquica, para eles comprometida com uma doutrina religiosa, pela Parapsicologia.
Para melhor conhecimento do assunto, recomenda-se a leitura do Trait de Metapsichique.
Metarradioterapia - Neologismo hbrido aqui proposto para substituir o termo fluidoterapia, considerado errneo, a partir do conceito que se tem de fluido. Como tal, tratamento atravs de radiaesditas mesmerianas de energias psquicas.

Metassoma -do gr. meta - alm + soma - corpo. O mesmo que perisprito, ou seja, corpo transcendental. Termo adotado pela Escola russa de Parapsicologia.

Metassomtico -de metassoma. Relativo ao perisprito.

Metstase -do grego metastasis - transferncia. No caso parapsquico, o fenmeno de transferncia de processos mrbidos atravs de radiaes medinicas ou mesmerianas.

Mettese paranormal -do gr. metthesis - transposio. Fenmeno que consiste em um mdium ou sensitivo estar num determinado lugar e no instante seguinte aparecer em outro sem que, para isso, houvesse se deslocado, independente de distncias.

Metatoscopia -do gr. metatos - dobra facial + sckpein - exame. Anlise da personalidade de uma pessoa por intermdio das rugas do rosto.


\r\n

Metempsicose do grego metempsychosis, pelo latim metempsychose - Transmigrao da alma de um corpo para outro. Doutrina filosfica de origem indiana, transportada para o Egito, de onde mais tarde Pitgoras a importou para a Grcia. Ensinava ser possvel uma mesma alma, depois de um perodo mais ou menos longo no mundo dos mortos, voltar a animar outros corpos de homens ou de animais, at que transcorra o tempo de sua purificao e possa retornar fonte da vida. Como se constata, h uma diferena capital entre a metempsicose e a doutrina da reencarnao: em primeiro lugar, a metempsicose admite a transmigrao da alma para o corpo de animais, o que seria uma degradao; em segundo lugar, esta transmigrao no se operaria seno na Terra. Os Espritos lecionam o contrrio, que a reencarnao um mecanismo de progresso constante, sem retrocesso, que o homem um ser cuja alma nada tem de comum com a dos animais, que as diferentes existncias podem realizar-se, quer na Terra, quer, por uma lei progressiva, em mundos de ordem superior, at que se torne Esprito purificado.

\r\n

Metensomatose - O mesmo que reencarnao. Termo sem uso prtico.

Meteorognosia - Segundo Bret, conhecimento dos fenmenos metereolgicos por predicados paranormais. Termo de nenhum uso.

Metergia -neologismo de Bret. Ao ou exteriorizao supranormal variada e complexa que produz corporificaes, movimentos de objetos distncia, como ainda, aes no mdium ou em outros seres vivos. Compreende a MetideogeniaIdeoplastia, a Metacinesiamovimento de objetos e a Metabiosej definida.

Metestesia -do gr. meta - alm + aisthsis - sensao. Outro nome da criptestesia, sem uso.

Metter - A telepatia, segundo Myers.

Metideogenia - Termo proposto por Bret, sem nenhuma finalidade, para definir a ectoplasmia.

Metideoplasia - Termo proposto por Bret para definir a Ideoplasia. Inusual.

\r\n

Mtodo do grego mthodos - A forma de atingir um objetivo, caminho para alcanar um fim. Programa que regula previamente determinadas operaes, para atingir ao fim especificado. Processo ou tcnica de ensino. Modo de proceder, meio ou maneira de agir.

\r\n

Mtodo experimental - Processo pelo qual se experimenta algo, coloca-se prova atravs da observao, repetio e comparao dos fatos, chegando assim a concluses. Foi o adotado por Allan Kardec para com os fatos e os fenmenos espritas.

\r\n

Mtodo indutivo - Processo racional, atravs do qual se estabelece leis gerais mediante a observao de casos particulares. Mtodo tambm usado pelo Codificador da Doutrina Esprita, em que, pela observao dos efeitos, remontou-se s causas.

\r\n

Miasma -do gr. miasma. Emanao melfica com influncia deletria sobre as pessoas. As orgnicas provm de substncias biolgicas deterioradas. As psquicas so atribudas a efeitos ectoplsmicos elaborados por Entidades malficas com o fito de prejudicarem encarnados

\r\n

Microcosmo do grego mikrkosmos, pelo latim microcosmu - Mundo pequeno; universo atmico ou subatmico; rea reduzida.

\r\n

Microfotografia do grego mikrs + phots + grph(o + ia - Processo de obteno de fotografia reduzida em suas dimenses. A fotografia obtida pelo referido processo.

\r\n

Milagre do latim miraculu - Algo espantoso, admirvel, que causa surpresa. Prodgio, maravilha. Acontecimento inexplicvel pelas leis naturais, extraordinrio.4. A cincia esprita, revelando as leis que regem os fenmenos antes inexplicveis, d explicao adequada ao que anteriormente se denominava milagre.

\r\n

Mimetizao psquica - Neologismo registrado por Joo Teixeira de Paula, em lugar de "mimetismo grafolgico", que define a faculdade medinica de transmitir mensagens com a letra que comunicante desencarnado tinha em vida terrena, assinatura idntica e reprodues de fotos materializadas com a mesma fisionomia.

Misonesmo -do gr. misein - odiar + neos - novo + ismo. Averso a tudo o que seja novo. No caso, averso aos fenmenos paranormais. No aceitao do fenmeno em si.

Misonesta - Inimigo de inovaes. No caso, dos estudos paranormais.


\r\n

Misso do latim missione - Estabelecimento, instituio de missionrios. Ofcio, ministrio. Incumbncia; compromisso; obrigao; encargo; dever a cumprir.

\r\n

Missionrio do francs missionaire - Propagandista, defensor de uma idia. Aquele que missiona, que prega a f, evangeliza.

\r\n

Mistrio do grego mystrion - Conceito antigo: conjunto de doutrinas e cerimnias religiosas que s eram conhecidas e praticadas pelos iniciados; culto secreto. Objeto de f ou dogma religioso que impenetrvel razo humana. Tudo aquilo que a inteligncia humana incapaz de explicar ou compreender.

\r\n

Mstica do latim mysticu - Vida religiosa e contemplativa Atitude baseada em crena ardorosa, sem racionalidade.

\r\n

Misticismo do grego mystiks, pelo latim mysticu + -ismo - Crena ou doutrina dos msticos. Disposio para crer no sobrenatural, no que no tem embasamento na realidade. Crena religiosa ou filosfica que admite comunicao oculta entre o homem e a divindade. A Doutrina Esprita no tem familiaridade alguma com o misticismo e nem abona sua prtica.

\r\n

Mstico do grego mystiks, pelo latim mysticu - Misterioso e espiritualmente alegrico ou figurado. Relativo vida espiritual contemplativa. Devoto, religioso, contemplativo, piedoso.

\r\n

Mistificao do francs mystifier - Ato ou efeito de mistificar. Logro; burla; engano. Espritos mistificadores mostram-se normalmente de forma enganadora, podendo usar identidade usurpada e discorrer at sobre o que no sabem, aproveitando-se da boa f ou da ignorncia dos que os recebem.

\r\n

Mistificar do francs mystifier - Abusar da credulidade de; enganar, iludir, burlar, lograr, embaraar.

\r\n

Mito do grego mythos, pelo latim mythu - Fato ou personagem real representado de forma exagerada pela imaginao popular e pela tradio. Idia que no tem correspondncia com a realidade; coisa fantasiosa, irreal, utpica. Idia ou doutrina exposta de forma imaginativa simbolizando e sugerindo a verdade que se quer transmitir.

\r\n

Mitologia do grego mythologa - Estudo do contedo, origem, influncia e trajetria dos mitos. Histria fabulosa das divindades pags. Compreende-se igualmente sob este nome a histria de todos os seres extra-humanos que, sob diversas denominaes, sucederam aos deuses pagos da Idade Mdia; assim que temos a mitologia escandinava, teutnica, cltica, escocesa, irlandesa, etc..

\r\n

Mnemnico do grego mnemoniks - Referente memria; mnmico. Fcil de reter na memria. Que auxilia a memria.

\r\n

MOB -forma abreviada de Modelo Organizador Biolgico. Segundo os conceitos de Hernani G. Andrade, corresponderia aos agentes estruturadores biolgicos, ou seja, dos componentes que correlatos com os reinos biolgicos.


\r\n

Modelo organizador biolgicoMOB - Definio dada pelo cientista esprita Hernani Guimares Andrade para o perisprito, porque o mesmo serve de molde, esboo e forma para o corpo fsico.

\r\n

Moldagem do espanhol molde + do latim -agem - Processo de fazer molde. O resultado do molde. Os objetos materializados atravs de molde ectoplsmico, nas sesses de ectoplasmia ou de materializao.

\r\n

Moldagens -do latim: mdulus + suf.. Confeco de moldes a partir de processos medinicos onde o modelo um desencarnado que cria a pea inteiria, como a tcnica mecnica no permitiria.


\r\n

Molde do espanhol molde - Modelo ou matriz pela qual se talha ou se forma uma reproduo.

\r\n

Mnada do latim monada - Organismo simples, que se pode tomar por unidade orgnica. Elemento simples e indivisvel, que se constitui forma viva primria.

\r\n

Monismo do grego mnos + -ismo- Doutrina filosfica segundo a qual o conjunto das coisas pode ser reduzido unidade, quer do ponto de vista da sua substncia, quer do ponto de vista das leis pelas quais o universo se ordena.

\r\n

Monies -do latim: monitionis - advertncia. Revelaes de fatos, de um modo geral, por processos paranormais

\r\n

Monoidesmo do grego mno(s + -ida + -ismo - Estado em que o psiquismo se acha dominado por uma idia central; fixao em uma nica idia. Ver: Obsesso.

\r\n

Monotesmo do grego mnos + thes + -smo - Sistema ou doutrina daqueles que admitem a existncia de um nico Deus.

\r\n

Mrbido -do latim: mrbidus. Relativo enfermidade sujeio a depresses psquicas e que leva o paciente a um estado patolgico de languidez e frouxido.


\r\n

Moral do latim morale - Conjunto de regras de conduta consideradas como vlidas, quer de modo absoluto para qualquer tempo ou lugar, quer para grupo ou pessoa determinada. Sistema de idias que tem por finalidade orientar o uso da liberdade pessoal mediante a distino entre o bem e mal, de modo que a conduta no acarrete sofrimentos.

\r\n

Mordaz do latim mordace - Satrico; maledicente.

\r\n

Morfologia do grego morph + log(o + -ia - Estudo dos aspectos da palavra. Estudo das formas materiais. Aspecto externo, formal, que a matria pode tomar.

\r\n

Morte do latim morte - Fim da existncia; termo da vida. Aniquilamento das foras vitais do corpo pelo esgotamento dos rgos. Com o corpo privado do princpio da vida orgnica, a alma se desprende dele e reingressa no mundo dos Espritos. Etimologicamente, morte significa "cessao completa da vida do homem, do animal, do vegetal". Genericamente, no entanto, a morte transformao. Do ponto de vista espiritual, morrer nem sempre desencarnar, isto , liberar-se da matria e das suas implicaes. A desencarnao fenmeno de abandono do corpo somtico por parte do Esprito que, por sua vez, se desimanta dos condicionamentos e atavismos materiais, facultando a si mesmo plenitude de ao e de conscincia. Assim, a morte fenmeno biolgico, trmino natural da etapa fsica, que d incio a novo estado de transformao molecular; a desencarnao, de outra parte, ocorre depois do processo da morte orgnica, diferindo em tempo e circunstncia, de indivduo para indivduo, podendo ser rpida, logo aps a morte, ou se alongar em estado de perturbao, conforme as disposies psquicas e emocionais do ser espiritual. Enfim, a morte apenas a destruio do envoltrio corporal, que a alma abandona, como faz a borboleta com a crislida, conservando porm seu corpo fludico ou perisprito. Ver: Desencarnao.

\r\n

Movimento Esprita - O Movimento Esprita o conjunto das atividades que tm por objetivo colocar a Doutrina Esprita ao alcance e a servio de toda a Humanidade, atravs do seu estudo, da sua prtica e da sua divulgao.

\r\n

Mundo corporal - Conjunto de seres inteligentes que tm um corpo material.

\r\n

Mundo dos Espritos - O mesmo que mundo espiritual ou mundo esprita.

\r\n

Mundo esprita - Conjunto de seres inteligentes despidos de seu invlucro corpreo. O mundo espiritual o mundo normal, primitivo, preexistente e sobrevivente a tudo. O estado corporal , para os Espritos, transitrio e passageiro. Ver: Mundo espiritual ou Mundo dos Espritos.

\r\n

Mundo espiritual - Designao equivalente a Mundo esprita ou Mundo dos Espritos.

\r\n

Mundo invisvel - O mesmo que Alm tmulo, mundo espiritual, mundo astral, mundo parapsquico. Domnio de existncia da vida espiritual ou dos agentes estruturadores csmicos.

Msica transcendental - Tambm dita metacromatia, refere-se aos sons advindos da Espiritualidade atravs dos mecanismos medinicos de cada um. Pode ser individual, quando s o mdium escuta, ou coletiva, num caso de fenmeno ectoplsmico.

\r\n

 

\r\n

Mutao do latim mutatione - Alterao, mudana, modificao, transformao.


 Comentários (Total: 1 )

Ola meu nome é Thiago Ribeiro tenho 19 anos e desde de 8 anos tenho visões que no incio me deixou com muito medo mais agora eu não tenho mais medo mas tem um problema cada vez que tenho estas visões eu tenhop muita dor de cabeça gostaria que você me ajudacem obrigado e uma boa noite sou do Rio de Janeiro capital


Caros irmos, a partir de 30/10/10 novo sistema de comentarios.


   Visitas: 58569
Comentrios: 0
Envio: 30Set201120:10
Autor(a): admin
Cmara aprova Dia Nacional do Espiritismo
   Visitas: 55039
Comentrios: 0
Envio: 27Jul201116:31
Autor(a): admin
   Visitas: 105462
Comentrios: 41
Envio: 30Set200815:17
Autor(a): admin
Deus no te Fez para sofrer!
   Visitas: 109826
Comentrios: 63
Envio: 28 Dez 2007 11:00
Autor(a): admin
Eu fiz 5 mil abortos - Aborto
   Visitas: 88411
Comentrios: 24
Envio: 19 Mar 2007 18:43
Autor(a): admin
Como doar sem ter?
   Visitas: 96941
Comentrios: 66
Envio: 25 Out 2006 15:20
Autor(a): admin
Sem aceitar o sofrimento, no encontramos a felicidade
   Visitas: 129324
Comentrios: 149
Envio: 9 Abr 2006 13:25
Autor(a): admin
Suicidio
   Visitas: 120430
Comentrios: 53
Envio: 7 Abr 2006 16:53
Autor(a): admin
Planejamento Reencarnatrio
   Visitas: 96144
Comentrios: 6
Envio: 24 Fev 2006 15:49
Autor(a): admin
Recriando o paraiso na terra
   Visitas: 135052
Comentrios: 69
Envio: 20 Fev 2006 10:35
Autor(a): admin
Introduo
   Visitas: 115773
Comentrios: 77
Envio: 19 Fev 2006 20:52
Autor(a): admin
Mensagem de Ashtar Sheran Terra
   Visitas: 108210
Comentrios: 62
Envio: 19 Fev 2006 20:39
Autor(a): admin
As contradies da Biblia
   Visitas: 58569
Comentrios: 0
Envio: 30Set201120:10
Autor(a): admin
Cmara aprova Dia Nacional do Espiritismo
   Visitas: 55039
Comentrios: 0
Envio: 27Jul201116:31
Autor(a): admin
   Visitas: 105462
Comentrios: 41
Envio: 30Set200815:17
Autor(a): admin
Deus no te Fez para sofrer!
   Visitas: 96913
Comentrios: 14
Envio: 21 Apr 2008 11:04
Autor(a): admin
Porque pais matam filhos
   Visitas: 77408
Comentrios: 12
Envio: 22 Dez 2007 05:31
Autor(a): admin
Florilgio Natalino
   Visitas: 111170
Comentrios: 66
Envio: 5Nov200609:42
Autor(a): admin
Evangelho no lar
   Visitas: 115939
Comentrios: 52
Envio: 4 Nov 2006 08:50
Autor(a): admin
Tragdias coletivas: por qu?
   Visitas: 83328
Comentrios: 15
Envio: 21 Jun 2006 23:28
Autor(a): admin
Doena - como enfrentar?
   Visitas: 87419
Comentrios: 13
Envio: 28 Mai 2006 19:34
Autor(a): admin
Divulgao da doutrina - O Dever da Propagao
   Visitas: 89326
Comentrios: 39
Envio: 19 Abr 2006 17:52
Autor(a): admin
Carinho, Porque e quanto pagar por ele?
   Visitas: 95683
Comentrios: 28
Envio: 24 Fev 2006 18:11
Autor(a): admin
A dor de Jesus
   Visitas: 89427
Comentrios: 11
Envio: 20 Fev 2006 11:25
Autor(a): admin
Splica
   Visitas: 85825
Comentrios: 9
Envio: 20 Fev 2006 11:23
Autor(a): admin
T me capturaste, Senhor
   Visitas: 21317
Comentrios: 15
Envio: 30?Jan?2006?23:37
Autor(a): admin
Sananda: Sua histria atravs de Ashtar Sheran e Athena